sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Para não virar marionete

(Feito para o Inktober tema era "transporte" - um teleférico)

Então é mais ou menos assim que funciona a raça humana - todo mundo dorme um sono profundo em ciclos repetitivos de comportamentos para alimentar um sistema, se alguém acorda e percebe a violência em toda parte e quer mudar o mundo as pessoas ou a realidade vão querer matar esse aí... Conduzidos pela tecnologia cada vez mais presos a esse ciclo repetitivo de sono profundo para não perceber a violência o homem recorre à sua fuga e potencialidade de sonhar. Resta a esse homem a faculdade do sonho que pode ser sonhar um mundo melhor e ir atrás disso doando-se, criando, trabalhando para algum propósito ou apenas sonhar e não fazer nada a respeito. O que você vai decidir? Enganar-se é fácil, viver na futilidade é fácil pra quem é ignorante e quem não se contenta com coisas que só vão virar pó a custa de outros escravos e a suposta beleza essa acaba um dia. Então sobra o quê? Sonhar e agir!


*  


4 comentários:

AC disse...

Sobra o que sobra, míngua ou ou deslumbramento.
Sabe, Luiza, nem todos têm a capacidade para ousar seguir em frente, isso requer coragem e lucidez. E isso só para começar, porque, para quem ousa, as etapas nunca cessam.
Valerá a pena? Para alguns sim, a minoria de sempre. Mas, aqui para nós, é quanto basta para manter a corrente viva. A recompensa, se a houver, só mesmo para quem ousar, doa o que doer.

Um beijinho :)

Luiza Maciel Nogueira disse...

É mesmo um pouco de tudo, dos opostos. AC estou pensando aqui não sei se tem haver mas enquanto existir dualidade no pensamento seremos seres duais- incapazes de compreender a verdadeira natureza da vida. Beijo!

alan andre disse...

Luiza e AC. Belíssima reflexão muito obrigado. Estive refletindo e gostaria só de acrescentar que falta ócio pro servo moderno. A palavra ócio na modernidade é muito mal interpretada por motivos políticos óbvio pro capital. Talvez a dominação seja a ponta perceptível desta violência cotidiana. Se não há tempo pra pensar então só nos resta sonhar. Aprendemos desde criança na escola que a vida é repleta de metas. Notas no boletim passar de ano. Ir para uma boa faculdade. Arrumar um bom emprego ser bem sucedido dentro do sistema. E quando vc menos espera vc já está velho perseguido metas que vc nunca quis mais vc acreditou quando te falaram que a felicidade estava lá. Tal como cenouras no anzol. Falta ócio é uma responsabilidade com a verdade simples da vida. A grande meta da vida é a morte e todo momento vivido é seu derradeiro momento vivido. Irrepetível pela natureza do tempo. Muito obrigado pela reflexão de vcs. E até.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Entendo seu ponto de vista concordo em parte e em parte discordo. Se as pessoas tivessem tempo para ócio a maioria dormiria, assistiria TV, celular ou se enfiaria em algum vício qualquer. Falta consciência da responsabilidade pelo coletivo e vergonha na cara de certas pessoas pra colocar a mão na massa e fazer um mundo melhor! E falo por vergonha própria. Grata pelas palavras fica mais rico com mais pontos de vistas!

Séries, estilos e temas

Abre Caminho (3) AC (1) amamentar (1) animação (4) Antonio Torres (1) árvores (16) auto retrato (2) Baby Soul (2) bic (7) Birds (9) Broken (15) Cd cover (11) Conversas (2) cor sanguínea (23) Cunha (1) Desafio (1) desenho de observação (16) desenho feito no celular (7) desenho feito no ipad (22) Desenhos lúdicos (4) desenhos para Isabela (7) do lúdico e da vontade de rabiscar (8) Dos artistas que me inspiram (10) dos lugares que eu queria morar (1) dos redemoinhos (9) e-book (1) elementais (8) estudo de mãos (6) ex-libris (1) exercícios de sonhar ínfimos (3) Gotas (6) ilustração não impressa para o livro do Álvaro (2) Inktober (29) intimidades (20) Jimi Hendrix (1) Joelma Bittencourt (1) Jose Couto (4) mar (3) mensagem (2) messagem (1) Music rains light for it touches hearts (11) O sol (2) Olhos (1) para colorir (1) Paraíso (2) Pássaros (18) Pequena (7) pinturas (1) poema (1) poema mudo (1) Poesia (2) preto no branco (10) Primeiros desenhos (1) Projetos (1) Quadrinhos (2) quincan (1) rabiscos (1) Renato Nogueira (1) Revolução (1) Sadness (2) Seminários (1) Série Album de Família (3) Série amor e revolução (6) série da música (29) Série das imagens que a música me sugere (9) série flores (9) série mensagem (1) Série poesia (3) Série recortes (11) Série releituras Gonçalves Dias (1) série sobre as elementais e a natureza (9) Série sobre o Mar (6) Série sombras (2) série ternura lilás (3) Série Versos na Pele (8) série: desejo (13) Série: do caos do mundo (13) série: na gravidez (5) Série: pássaros na alma (12) Série: poesia (6) Série: versos na pele (4) Sobre alguns palhaços (9) sobre fenômenos espirituais (1) sombras (2) técnica de onda Hokusawa (2) Tom Jobim (1) Toquinho (3) tucano (1) vento (3) Vinicius (9) violão (3) violões (10)